Bem-vindo e bem-vinda!

Comments Off on Bem-vindo e bem-vinda!

Screen Shot 2014-10-06 at 18.21.29

Veja nosso vídeo, clica aí!

…ou acesse nosso índice com todos os posts! :-)

Férias na Tanzânia, voltamos logo!

Sem comentários

Porque estávamos meio calados no site? O motivo basicamente era estarmos planejando as nossas primeiras férias após a RTW, e dessa vez ficaremos um mês todo na Tanzânia, na África oriental. Vai ser muita montanha, savana e praia para nós por algumas boas semanas. Embarcamos nesse fim de semana e daremos as dicas mochilheirísticas depois, até a volta!

Kilimanjaro, Serengeti, Zanzibar!

Kilimanjaro, Serengeti, Zanzibar!

Mundo na Panela #16: pissaladière

Sem comentários

Voltamos pra França, dessa vez no sul e na costa do mediterrâneo! Essa receita de massa é muito a cara de Nice e arredores da riviera, com uma mistura de coisas italianas e francesas na mesma receita. Parece pizza, mas não é, e é bom gostar de muita cebola caramelizada :-)

Por quê?

Perfeição pura!

Perfeição pura!

Por que fazer uma pissaladière? Pelo simples motivo na própria explicação da receita! É uma combinação perfeita de ingredientes tipicamente franceses, como cebola e tomilho, com outros bem italianos, como a massa e muito azeite. Sem falar no toque mediterrâneo com azeitonas e anchovas, que junto com o resto dá um sabor agridoce animalesco que toda padaria de Nice vende bem barato em quadradinhos.

Receita

Massa:

  • 2 xícaras e 1/2 de farinha de trigo
  • 180ml de água
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de açúcar mascavo
  • 1,5g de fermento seco

Cobertura:

  • 4 a 6 cebolas grandes
  • 4 ramos de tomilho
  • 3 colheres de sopa de alcaparras
  • 2 folhas de louro
  • 20 azeitonas pretas
  • 20 anchovas em tiras
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • pimenta do reino a gosto

Preparo

Primeiro prepare a cobertura, pois ela não pode estar muito quente e recém terminada quando for montar o prato. Corte as cebolas bem finas e as refogue em azeite cobrindo o fundo da panela. Acrescente o tomilho e o louro no refogado. Quando tudo murchar, acrescente o sal, a pimenta do reino e o açúcar. Refogue tudo em fogo baixo e com tampa, mexendo de vez em quando por cerca de 30min. As cebolas ficarão bem macias e adocicadas, mas sem escurecerem demais nem queimar. Tire os galhos do tomilho e as folhas de louro da panela. Pique bem as alcaparras e misture-as nas cebolas. Reserve tudo pra que esfrie e as cebolas absorvam seu caldo.

Pra massa, comece peneirando toda a farinha. Dissolva o sal em um pouquinho da água e reserve-o. No restante da água misture o fermento, o açúcar e o azeite. Misture essa parte grande da água com 2 xícaras de farinha (e reserve a outra 1/2 xícara da farinha para ir dando o ponto na massa depois). Agora pode juntar aquela água salgada que estava reservada. Sove bem até obter uma massa lisa e macia, e deixe descansar numa tigela untada com azeite por 1h.

Abra a massa (com os dedos) em uma forma de paredes baixas e untada com mais azeite. Ela é elástica e abrirá bem, rusticamente mesmo. Jogue por cima a cobertura de cebolas, deixando uma linha de massa exposta nas bordas. Faça padrões distribuindo as tiras de anchovas e bote as azeitonas nos intervalos das tiras, pra ficar decorado. Leve ao forno médio por cerca de 20min, até a base da massa ficar assada. Como não é uma pizza, a massa ficará assada mas bem macia em cima, quase um pão plano.

Manha

É pra ficar assim, ó

É pra ficar assim, ó

Se as suas alcaparras e anchovas forem de baixa qualidade elas provavelmente virão muito salgadas, então basta dar um leve banho de água fria nelas pra aliviar o gosto do sal. Se quiser baratear a receita até vale usar sardinhas no lugar das anchovas, porém fica bastante diferente no sabor final. Corte a pissaladière sempre em quadradinhos e deixe esfriar bem antes de servir, ela não é uma comida quente. Todas as pissaladière que comemos vinham em formas retangulares e nunca redondas, mas isso pode ser purismo demais :-)

Um pedaço na manhã seguinte, frio mesmo, é excelente

Um pedaço na manhã seguinte, frio mesmo, é excelente

PS: não deixe de ver mais comilanças nossas nos outros posts Mundo na Panela!

Mundo na Panela #15: ful com taameya

1 comentário

Agora que vocês estão com os estômagos treinados, podemos partir pra pratos mais bombas atômicas, como os do Egito! Depois de algum tempo resolvemos fazer o prato básico egípcio, o ful com taameya (o falafel local, de feijão e cor verde). Essa receita rende uns 20 mini falafels e ful suficiente pra umas 4 pessoas. Existem muitas variações de ful em países árabes, mas esse estilo foi como comemos no Egito todo.

Por quê?

O ful para os egípcios é como o arroz-e-feijão para nós brasileiros: todo mundo come, e em qualquer refeição, desde a antiguidade. Existem registros de ful em ruínas do Egito Antigo; era uma comida que até os faraós comiam e na realidade é um prato vegetariano até mais onipresente por lá. Egípcios comem ful até mesmo 6h da manhã junto com chá quente pra começar o dia turbinados! É uma receita pesada, mas caprichada e que lembra muito o dia-a-dia no Egito :-)

Sim, isso é gostoso!

É bem feio de ver, mas de comer é uma delícia, acredite

Receita

Falafel taameya:

  • 1 cebola
  • 1 xícara e 1/2 de feijão verde seco (ou de corda)
  • 1 maço de salsinha ou coentro
  • 2 xícaras de folhas de hortelã
  • 4 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de sal
  • 1 colher de sopa de pimenta síria
  • 2 colheres de sopa de cominho

Ful:

  • 1 xícara e 1/2 de feijão verde seco (ou de corda)
  • 1 tomate
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de chá de sal
  • 1/2 limão
  • 1 colher de sopa de tahini
  • 1 ovo bem cozido por pessoa
  • azeite de oliva a gosto
  • páprica pra decorar

Preparo

Falafel taameya: deixe os feijões de molho na noite anterior, e na hora que decidir fazer a receita basta processá-los com todos os outros ingredientes. Não tem segredo, é só processar tudo até a massa ficar esverdeada porém nunca em ponto de pasta. A textura correta é uma textura farinhenta e bastante verde. Se ajudar, processe os temperos e os feijões separadamente primeiro, depois reprocesse eles juntos. Faça bolinhas com essa massa e frite-as em óleo até escurecerem por fora, mas sem queimar.

Ful: deixe igualmente essess feijões de molho na noite anterior. Quando começar a preparar a receita cozinhe eles em fogo baixo com o tomate e o alho. Quando os feijões começarem a desmanchar, depois de uns 30 minutos em fogo alto, aproximadamente, tire do fogo e escorra os feijões guardando o caldo deles da panela. Use um mixer (ou batedor) pra transformar tudo em uma pasta, e acrescente partes do caldo que guardou caso esteja muito grosso. O ponto é de um patê grosso mesmo. Decore com muito azeite de oliva por cima em uma tigela, salpique páprica e o tahini sobre a pasta. Esprema o suco do limão por cima e desmanche os ovos cozidos por cima de tudo isso. Na hora de servir é só misturar tudo muito bem até ficar homogêno.

Sanduíche de falafel taameya e legumes

Sanduíche de falafel taameya com molho tahine em cima

Manha

Quanto mais fininho for cortado o alface, melhor, ele é mais pra dar uma cor e textura mesmo. Não tem problema se os falafel taameya ficarem escuros, o que importa é que não queimem e que fiquem bem fritos. Pra fazer como os egípcios: corte um pão árabe na metade, abra ela e no fundo bote o alface picado, falafels e jogue hummus por cima se tiver; abra a outra metade do pão árabe e passe uma porção generosa da pasta de ful e bote junto alface picado e tiras de cenouras cozidas ou de pepino.

Sanduíche de ful com salada

Sanduíche de ful com alface e cenoura

PS: não deixe de ver mais comilanças nossas nos outros posts Mundo na Panela!

Posts anteriores