Nosso novo projeto: Mundo na Panela

2 comentários

Mal havíamos começado nossa volta ao mundo e já tínhamos chegado na conclusão mais óbvia a que um mochileiro pode chegar: viajar é se entupir de comida! Claro, quando tem dinheiro, e quando dá, mas sim… basicamente viajar é comer os lugares. Nossas maiores lembranças não são de arquitetura, música, nem mesmo eventos com pessoas. Lembramos dos lugares com a barriga e decidimos matar a saudade da nossa RTW, que terminou meses atrás, com um novo projetinho: Mundo na Panela.

Viajar é comer

Viajar é comer

A idéia é simples: íamos experimentando obrigatoriamente pelo menos 2 pratos tradicionais por onde passávamos, e agora de volta em casa vamos cozinhar eles todos! Abaixo tem uma lista com os pratos que planejamos fazer, então se você mora perto e não tem vergonha de se convidar, aproveita que cozinhamos bem e em grande quantidade. Amigos são bem-vindos pra serem cobaias, é só combinar a data pro prato sem frescura de “mas nem convidam hein” :-) e ah, no Facebook da Dani já tem muitas fotos do que comemos nas viagens, caso queira ver uma prévia do que faremos.

Com o tempo iremos botar aleatoriamente receitas e fotos de cada prato, então fique esperto nos posts que forem saíndo, assim você viaja um pouco também nem que seja em volta das panelas!

África do Sul

Egito

  • Koshari, uma mistureba com temperos
  • Sahlab, bebida quase sobremesa

Grécia

Itália

Suíça

França

Espanha

  • Paella e sangria
  • Pintxos

Alemanha

Nepal

  • Dal bhat com momos
  • Navratan korma com chai

Tailândia

  • Pad thai de frango
  • Sweet & sour ou curry verde, ainda na dúvida também!

Malásia

  • Nasi lemak, o prato feito do dia-a-dia
  • Sopa apimentada tom yam

Singapura

Cambodia

  • Sopa de peixe com flor de banana
  • Amok de peixe

Nova Zelândia

  • Pavlova de kiwi
  • Carneiro assado

EUA

Melhores e piores da nossa volta ao mundo

4 comentários

…ou os Grandes Prêmios Voltamundistas! No fim da viagem começaram a nos perguntar que lugares mais gostamos, onde não voltaríamos jamais, o maior problema que enfrentamos, a comida mais gostosa e tal, então numa conversa num barco (acho) fomos brincando de ver se concordávamos nas escolhas e saiu essa lista! Visitamos menos de 10% dos países que existem, mas já dá uma idéia do que se vê no mundo :-)

Certificado de vitória de cada lugar!

Certificado de vitória de cada lugar!

Melhor país pra relaxar: Tailândia :-D

Melhor país pra aventuras: Nepal, com uma menção honrosa pra África do Sul

Pior viagem que fizemos: Nepal pra Dani (de Kathmandu até o início do Circuito Annapurna em Besi Sahar) e no Egito (de Hurghada até Cairo de ônibus) pro Caio

Melhor cozinha: Espanha com folga, mas a França não perde muito em qualidade de ingredientes pra cozinhar em casa

Melhor prato que comemos: Moussaka na Grécia, embora um dal bhat nepalês com momos bem feitos dá água na boca!

Melhor transporte público: Suíça, mas a Espanha é páreo duro por ser bem boa e bem mais barata

População mais amigável: Grécia, fácil e sem pensar duas vezes!

Melhor relação de custo e benefício: Tailândia e África do Sul empatadas

Lugar com as melhores paisagens: Nepal em um empate técnico com a Nova Zelândia (dois extremos: um barato e outro caro)

Melhor infraestrutura de hospedagem: África do Sul tem albergues bons e baratos em todo canto, mas países asiáticos só perdem pela qualidade

Lugar mais estressante de todos: Egito

Melhor país pra mochileiros: Tailândia imbatível desde sempre nisso, com menção honrosa pra França por ter muito couchsurfing

Pior país pra mochileiros: Nova Zelândia, sim… contra a opinião geral, a não ser que você tenha muito dinheiro ou muito tempo pode se frustrar a cada curva lá

Maior surpresa no roteiro: Espanha, país incrível que não é muito bom de marketing

Maior decepção: Nova Zelândia, extremamente cara quase a ponto de não valer a visita se a Austrália hoje não fosse ainda mais cara

País pra voltar de novo só se for de graça: Singapura, ou talvez nem de graça

País pra voltar de novo no futuro: Grécia ;-) 

Aguardando ansiosamente por uma outra oportunidade de viajar pra distribuir mais “prêmios” voltamundistas pros outros 90% de países que não visitamos :-D

Busabout: rolê de busão pela Europa

1 comentário

No post sobre quanto custa dar uma volta ao mundo nós mencionamos que na Europa usaríamos um esquema pra mochileiros pegar ônibus e num post específico falaríamos quanto custa mochilar de ônibus pelo continente. Então, este é o post prometido :-)

Pegando nossas mochilas na última parada, afinal

Pegando nossas mochilas na última parada, afinal

O que é o Busabout?

Surgiu um problema quando procuramos como nos deslocar pelo maior número de países europeus possíveis com nosso orçamento restrito. Transporte entre países na Europa é uma droga, é caro demais. Achávamos que por ser tudo pequeno e perto seria fácil. Bom, de carro é, mas o custo pra alugar um é ridículo. Achamos o Busabout, um esquema próprio pra mochileiros rodando a Europa, de ônibus.

A idéia é você fazer loops pelas regiões do continente (ou mesmo ir 100% custom mas pagando mais). É como um circuito: horários e rotas fixas passando por umas 35 cidades no total, você marca um assento pro dia que quiser, aparece no local e vai junto. Uma beleza, e nada de terminais de ônibus velhos ou sujos. Pra quem é mochileiro ou sabe viajar de forma independente, na Europa não tem coisa melhor na minha opinião.

As cidades por onde o circuito passa são sempre famosas e não famosas, então é sempre uma boa usá-las como bases pra visitas mais longas em vilarejos ou cidades menores ao redor. Pela logística complicada compensa bem.

O custo da brincadeira

Antes de sair do Brasil compramos um loop do circuito deles no estilo hop-on hop-off (passando por 12 cidades) e custou R$ 1.100 por pessoa. Havia uma promoção pra “early birds” começando e ganhamos uns 20% de desconto. Se você dividir o preço do Busabout pelo número de lugares que você passa, no nosso caso, dá uns 37 euros por trecho, o que é um baita negócio pela qualidade do serviço que oferecem e pelas possibilidades de viagem que você ganha na Europa.

Por que ir de ônibus e não trem ou avião?

Simples: dinheiro. Mochileiros não tem o luxo de andar de trem com frequência. Na Europa um passe de trem equivalente em número de locais ao Busabout custaria por volta do dobro segundo nossas contas. Além disso trens dependem de estações, e cidades pequenas nem sempre tem uma internacional. Ou seja, vai fazer um milhão de conexões e ainda ter que ir “à pé” pro seu albergue de regiões nem sempre boa, problema frequente com trem.

Contra ir de avião dinheiro não convence muito, já que hoje em dia com promoções você voa por menos. A questão aqui é a organização de 3 meses por vários países como é o nosso caso. Você fica louco, sério. Além disso, mochileiros tão sempre com bagagem caindo pelas pernas e penduradas com fios como as minhas botas. Companhias de baixo custo na Europa cobram por bagagem, e geralmente só permitem algo do tamanho de mochila escolar… é isso ou paga-se um absurdo! Hmm não, eu passo.

Por tudo isso escolhemos o Busabout. Claro, o serviço tem vários problemas, mas não vamos focar neles nesse post porque achamos que eles são tão bobos perto do nível geral do que oferecem que ia ser exagerado da nossa parte. Só não recomendamos o Busabout com mais vontade porque muitos que usam ele são gringos playboys pagando de mochileiros, e ainda não é algo tão barato quanto viajar 100% por conta própria, ir comprando bilhetes conforme viaja, mas isso inviabiliza a Europa pra brasileiros com limite de 3 meses lá, então…

As coisas boas

  • Fazem bastante paradas e em lugares bons, uma a cada 2 ou 3 horas em média. Assim nem se sente uma viagem de 10 horas, fica muito tranquilo e suportável.
  • Preocupação beirando zero com a logística de por onde ir e como chegar, só dar a mochila pro motorista e relaxar assistindo filmes no ônibus.
  • Organização e horários do esquema é toda britânica, pontual e funcional. Dá pra confiar de olhos fechados.
  • Se estiver em pânico sem lugar pra dormir e estiver dentro do ônibus, dá pra pagar um wifi lá dentro pra procurar uma cama. Ou agendar e pagar com cartão direto com o guia um lugar no albergue deles. Ganha karma de segurança por isso.
  • Não importa onde esteja, todos do Busabout falam em inglês na Europa toda. E possuem infos valiosas de cada lugar, sobre história e o que fazer etc. É um ponto precioso pra quem tá perdido por aí.

As coisas mais ou menos ruins

  • Só tem australianos! Alguns são neozelandeses e uns poucos britânicos e americanos. Não vimos absolutamente ninguém de outra nacionalidade, até ficavam impressionados ao ver que éramos brasileiros. Falta diversidade de mochileiros.
  • Os albergues com quem eles tem parceria são todos chiques, estilosos e caros. Bom pra pagar em dólar australiano e libra, se é que me entende. Precisa sempre andar além com as mochilas, até um lugar mais barato ou couchsurfar.
  • O tipo dos guias é tão diferente um do outro que vira roleta russa. A chance de pegar um babacão ou alguém mala é de 50% sempre.
  • Muitas paradas obrigatórias. Totalmente compreensível pela dificuldade deles em viajar de noite, mas incomoda se você não quer parar em cidades menos conhecidas (não era nosso caso, mas fica o comentário).
  • O site é um pouco confuso em algumas áreas (como infos básicas de horário e pontos de encontro), mas o sistema pra agendamento de lugares, atividades e assentos funciona bem.

Micro-review do review

Os ônibus são todos muito limpos, mais do que esperávamos. É só chegar com seu passaporte na hora de embarcar, confirmar seu nome, sentar e viajar. Passam filmes e séries em 2 televisões do ônibus o tempo todo. Não tem banheiro dentro, mas param com frequência em estações com restaurantes, mercados e toaletes. Os motoristas são gente boa, vários são de portugal (e pelo menos 2 guias gringos dos ônibus aprenderam português). Não se viaja depois que está escuro, bom ponto positivo pra segurança e cansaço. Os assentos são confortáveis, mas não muito espaçosos pra quem tem mais que 1 metro e 80, como eu. A maioria esmagadora dos viajantes é mulher na casa dos 20 e poucos anos. Não fazem overbooking, nunca vimos os ônibus lotar completamente.

Veredicto

Achamos que vale muito a pena usar o Busabout. Pra nós valeu bastante! Tem seus problemas, claro, mas os benefícios compensam bastante pra quem tá mochilando pelo continente mais caro que tem pela primeira vez. Transporte na Europa é mais complicado que você imagina, mesmo os países sendo tão próximos, então o Busabout te tira essa responsabilidade da cabeça… o único problema é ter que gastar uma grana considerável com isso. Às vezes grana é exatamente o que mochileiros não possuem :-)

Posts anteriores