Mundo na Panela #11: tom yam goong

Sem comentários

Senhoras e senhores preparem as línguas porque começamos a fazer receitas asiáticas cheias de pimenta. Como essa da foto abaixo, que tecnicamente é de origem tailandesa mas é uma base de sopa muito comum em todo sudeste da Ásia. Todos os países da região tem suas variações de tom yam. Tom Yam Goong (ou “tom yam de camarão”) é a que experimentamos na Malásia.

Nham :-)

Nham :-)

Por quê?

Porque a vida é muito curta pra ficar tomando sopa que não faz a sua língua derreter, cara ficar vermelha e querer pedir socorro, basicamente. Existe uma rede de cafeterias na Malásia que serve várias misturas de tom yam, caso não confie nos vendedores de rua, e foi numa delas que pela primeira vez tomamos a sopa. Acho que tomamos depois na Tailândia de novo também. O que mais nos lembramos dela é o “caramba, como arde tudo” dos primeiros bocados! É de assustar pra quem não tá acostumado, mas acredite que é muito saborosa. A pimenta arde enquanto tá tomando a sopa ainda quente. Parou de tomar, passou cinco minutos? Já era o ardido, é mágica :-)

Receita

  • 2-4 pimentas malaguetas
  • 2 colheres de sopa de pasta de pimenta
  • 2 caules médios de capim limão
  • 4 folhas frescas de limão kaffir
  • 1 limão comum com muito sumo
  • 4 fatias de raiz galangal
  • 8 camarões rosa inteiros
  • 300g de cogumelos salmão
  • 3 colheres de sopa de molho de peixe
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • punhado de coentro, a gosto
  • 750ml de água

Preparo

Fazer tom yam goong não é demorado, mas precisa começar 1h antes de comer porque se usa camarões frescos e terá que limpá-los. Arranque as cabeças deles e bote numa panela com os 750ml de água pra deixar cozinhando até reduzir 1/3 do líquido, o que deve levar uns 30min. Coe o líquido e reserve, ele será a base do tom yam goong. Se você só achou galangal desidratado, aproveite agora pra cobrí-los com água e já deixe-os hidratando enquanto prepara o resto das coisas. Limpe os camarões tirando a casca deles e depois, com uma faca de corte fino, abra as costas deles bem na linha central pra enxaguar e tirar as víceras. Reserve-os.

Agora tudo que for preparando já vai direto pra panela com o caldo das cabeças dos camarões, prepare-se. Amasse os caules de capim limão e corte-os em 3 partes cada. Fatie as pimentas na vertical (com poucas ou nenhumas sementes), jogue uma metade na panela e reserve a outra pra decorar o prato pronto com as folhas de coentro. Misture as folhas de kaffir na panela. Bote 2 colheres caprichadas de pasta de pimenta e misture bem com o caldo pra dissolver tudo. Jogue o molho de peixe, o sal da receita. Misture o açúcar. Ferva tudo. Quando subir a fervura, corte as bases duras dos cogumelos e misture-os ao caldo. Jogue os camarões agora também. Ferva tudo por uns 5-10min, é o suficiente. Tire do fogo, misture o sumo do limão e pronto!

Estranho mas gostoso! E apimentado, muito apimentado

Estranho mas gostoso! E apimentado, muito apimentado

Manha

Quando for servir dê uma misturada na sopa, senão parecerá meio alienígena pra pessoas já que os temperos se mexem sozinhos e se aglutinam naturalmente em formatos estranhos. Só jogue o sumo do limão depois que sair do fogo, senão vai amargar. Claro que vai dar trabalho achar os ingredientes (demoramos semanas pra encontrar todos), mas em lojas asiáticas se encontra eles, ou em mercados municipais, ou em bairros e colônias de asiáticos se der sorte de morar perto de um. Use tofu defumado como fazem lá se for vegetariano, fica bem gostoso também. Acompanhar com arroz branco também é uma boa, como sempre. Não deixe de jogar coentro por cima da sopa, dá uma diferença incrível mais próxima do sabor original!

PS: não deixe de ver mais comilanças nossas nos outros posts Mundo na Panela!

Mundo na Panela #10: melktert

Sem comentários

Sabe aquelas receitas de mãe ou avó? Melktert, ou milktart em inglês, ou torta de leite em português, ou… brincadeira, é uma receita desse tipo. Mas como diabos se faz uma torta de leite que não desmancha? Verá logo abaixo, e temos certeza que vai fazer grunhidos e fechar os olhos quando comer o primeiro pedaço dessa torta africâner típica de festas de fim de ano :-)

Por quê?

Melktert foi a primeiríssima sobremesa que comemos na nossa volta ao mundo, então nos marcou. De um jeito meio bobo talvez, mas nos lembramos do gosto dela até hoje e estávamos ansiosos pra fazer uma torta dessa em casa. Em várias cidades da África do Sul você encontra melktert em supermercados mesmo, e são incrivelmente deliciosas. Diz a lenda que poucas pessoas fazem em casa, pois as de mercado são realmente boas. Quem diria…

Toma na sua cara! Delícia! Com café pela manhã! :-D

Toma na sua cara! Delícia! Com café pela manhã! :-D

Receita

Massa:

  • 100g de manteiga amolecida
  • 250g de farinha de trigo
  • 1 pitada de sal
  • 1 gema
  • 80g de açúcar
  • 50ml de água

Creme:

  • 1L de leite integral
  • 1 colher de chá de baunilha
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1/2 xícara de farinha de trigo
  • 1/2 xícara de amido de milho
  • 1 xícara de açúcar
  • noz moscada a gosto
  • 3 ovos

Preparo

Pra fazer a massa comece misturando a farinha, o sal, o açúcar e a manteiga com as mãos até virar uma farofa fina. Adicione a gema e a água, amassando com as mãos até ficar uma massa homogênea e lisa. Se precisar, bote mais farinha aos poucos até parar de grudar massa nas mãos. Modele um uma bola e enrole em plástico filme de cozinha e deixe na geladeira por 1h pra firmar. Depois disso, polvilhe trigo numa mesa e abra a massa com um rolo. Não tenha medo de botar farinha na mesa ou na massa, não pode grudar massa nem na mesa nem no rolo. Abra a massa até um pouco além do tamanho da sua forma, pois no forno ela vai encolher e precisará de massa pra altura da lateral da sua forma. Depois que deitar a massa na forma, passe o rolo por cima da borda pra massa cortar bem no limite da altura e aproveitar bastante dela. Asse por 30min em fogo baixo. Não se preocupe, ela não vai dourar muito mesmo!

Truque: bote feijões em cima de papel manteiga sobre a massa, pra ela não inflar no forno

Truque: feijões em cima de papel manteiga sobre a massa, pra ela não inflar no forno

Agora o creme. Leve ao fogo somente 750ml do leite integral com a baunilha, a manteiga e a noz moscada, se quiser botá-la. Derreta tudo, mas sem ferver. Desligue o fogo e em outra vasilha misture a farinha, o amido de milho, o açúcar, um ovo inteiro, duas gemas (mas guarde as claras delas) e os 125ml de leite que sobraram de antes. Misture tudo dessa vasilha muito bem. Adicione tudo isso ao que tava quente na outra panela e leve ao fogo baixo. Nunca, jamais, deixe o fogo subir. Mexa sem parar, em todas as partes da panela. Se não fizer isso vai empelotar, e você quer uma textura lisa sem grumos. Quando engrossar ao ponto de começar a soltar de leve da lateral da panela, tire do fogo e mexa o creme mais uns minutos pra esfriar. Cubra com papel manteiga até encostar no creme quente e deixe uns 15min geladeira pra amornar.

Resultado final de pertinho, pra ver a textura do creme

Resultado final de pertinho, pra ver a textura do leite

Bata as duas claras que tinha guardado quase até ponto de neve (sem exagerar pra não ficar fofo demais), e misture bem ao creme amornado na geladeira. Bote com cuidado sobre a massa agora já assada e ajeite até ficar bem liso em cima, chegando até as bordas. Polvilhe canela por cima e deixe na geladeira de 2 a 4 horas antes de cortar. Aí só servir!

Manha

Consistência perfeita, sem desmanchar

Consistência perfeita, sem desmanchar

A noz moscada é realmente opcional, mas achamos que dá diferença pra melhor no sabor final. Melkterts não são muito doces, tem mais gosto de leite cremoso mesmo, então pode botar mais açúcar se quiser! A canela além de dar um sabor muito bom também serve pra que não forme uma película sobre o creme (como nata) quando ele esfriar, caso não goste dela pense em outra coisa pra dar o mesmo efeito :-)

PS: não deixe de ver mais comilanças nossas nos outros posts Mundo na Panela!

Mundo na Panela #9: salsichões

Sem comentários

Embora não seja possível fazer toda a receita de hoje em casa, prepare-se pra ficar de barriga cheia pois comerá salsichões alemães com direito a chucrute! Naturalmente as bockwursts e bratwursts (as salsichas escuras e claras) foram compradas prontas, mas fizemos questão de fazer nosso próprio chucrute e damos a receita de tudo, além da mostarda típica pra esse tipo de sanduíche :-)

DSC_3424

Bratwurst + chucrute + Eisenbahn = Dani feliz

Por quê?

Quando visitamos o sul da Alemanha, e na verdade até no norte da Suíça, sanduíches de salsichões alemães era a coisa mais barata pra comprar na rua na hora que a fome apertava e não tínhamos algo nas mochilas. Devemos ter comido todo tipo de salsichas lá, mas a melhor mesmo pra gente é a bratwurst, que sempre se achava grelhada e servida em um pãozinho com mostarda picante. Pra caprichar, bote um pouco de chucrute por cima e a mistura fica imbatível! Chucrute é um probiótico natural, vai compensar a carne no corpo depois da comilança :-)

Receita

  • 2-4 salsichões tipo bratwurst ou bockwurst
  • 2-4 pães tipo francês mas em formato de cachorro-quente
  • 200g de mostarda amarela
  • 2 colheres de sopa de páprica
  • 1 cabeça média de repolho
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de sopa de sal
  • 1 colher de sopa de vinagre branco
DSC_3417

Preparando pro ataque

Preparo

As salsichas não tem segredo, é como você preferir mesmo. Se estiver fazendo um churrasco, melhor ainda. As mais gostosas que comemos foram de um churrasco em Stuttgart, mas não temos churrasqueira em casa então foi no forno mesmo. O ponto é como desejar, mas as salsichas brancas devem ao menos estar meio douradas por fora. Prepare a mostarda misturando ela com a páprica, que é como eles servem mostarda em muitas vendas de rua. Pro chucrute, arregace as mangas e vamos lá.

Jogue fora as primeiras folhas do repolho se estiverem moles ou machucadas e também corte fora a base dura dele. Fatie o repolho o mais fino que puder. Não tão fino quanto couve de feijoada, mas se ficar muito grosseiro ele não vai curtir bem depois e não virará chucrute. Amasse tudo que picou com as mãos, por uns 10min. Vai soltar bastante água e reduzir pra 1/3 do tamanho. Misture o vinagre branco, o sal e o açúcar. Bote todo o repolho num pote de vidro esterilizado, mas sem o seu líquido. Soque bastante com algo pros sólidos compactarem no fundo. Ao poucos, bote o líquido até cobrir 2 dedos acima do repolho. Se ele ficar acima da água vai oxidar e estragar o chucrute. Cubra a boca do pote com um pano e deixe a tampa só por cima, sem rosquear. Deixe numa área protegida do sol por uns 5 dias e finalmente estará pronto :-)

DSC_3430

Mostarda embaixo, chucrute em cima, e o pão sempre menor que a salsicha!

Manha

Na foto da mesa você vai ver o que parece suco de maçã, mas na verdade é o apfelschorle no qual os alemães são viciados e que nós odiamos experimentar (se quiser arriscar misture suco de maçã com água com gás em proporções iguais, e coe o suco antes, não faça como a gente). Quem bebe vai querer aproveitar a chance e tomar alguma cerveja estilo alemão, a Dani pegou uma Eisenbahn de trigo! A manha pro chucrute pode ser o gosto que você quer dele, difícil dizer. A família da Dani é alemã e polonesa, então ela conhecia bem o gosto e disse que o meu ficou excelente, mas pode tentar botar algum tempero (como semente de coentro) antes dele curtir se quiser inventar moda :-)

PS: não deixe de ver mais comilanças nossas nos outros posts Mundo na Panela!

Posts anteriores