Passeios nerds no Vale do Silício

2 Comments

Quando nós vimos em São Francisco a Carol e o Faw, também de Curitiba e morando nos EUA, fizeram um convite irrecusável pra gente: visitar a região de Menlo Park e as empresas do Vale do Silício. Trabalhando com computação desde sempre, tentei segurar o sorrisão pela oportunidade! Não só ganharíamos um lugar ótimo pra ficar, como teríamos companhia brasileira pra passeios nerds e começar nossa reabilitação social pra volta pra casa.

De trem via Caltrain até o Vale do Silício, que na verdade é meio que uma definição bem superficial da região, fica por volta de 7 dólares por pessoa naqueles vagões duplo deck igual do filme Source Code, que tem um nome até sugestivo pro que iríamos fazer. Ficamos mesmo em Menlo Park onde eles moram virtualmente do lado do Facebook, de dar pra ir à pé, então começamos a visita pelos prédios deles.

Fizemos o mapa da RTW no The Wall original do Facebook :-)

Fizemos o mapa da RTW no The Wall original do Facebook :-)

Por dentro o Facebook parece uma mini cidade, e embora eu, Caio, use bem menos que a Dani o serviço deles, fiquei bastante impressionado pela parte física do lugar.

Jóia

Jóia

Tudo aberto, se anda à vontade lá dentro pelas ruas e calçadas da mini cidade, até passar em frente a mesa do Zuckerberg dá porque ele senta junto com a galera. Foi muito legal fazer esse tour com o Faw, principalmente por ver o que eles tem de Open Compute, com direito a ver as máquinas e racks abertos de exposição e onde trabalham… e claro, pelo sorvete grátis :-)

Afundou

Afundou

Por fora o Facebook tem um logo que é reaproveitado de um antigo da Sun que ficava ali. Por trás dá pra ver como tá decadente o logo da Sun, e querendo ou não passa uma mensagem até poderosa de que tudo vai a falência eventualmente. Foi interessante ver isso.

Tadã!

Tcharam!

Fomos também com a Carol dar um rolezinho, mas esse sem baderna, pelo Googleplex. O lugar é realmente enorme mas tem muita cara corporativa pela natureza dos prédios, que antigamente eram de empresas mais gravatas e foram sendo comprados e anexados ao campus deles.

As bicicletas do Googleplex são bonitinhas

As bicicletas do Googleplex são bonitinhas

Passamos pelo prédio onde fica o Google Plus, pra balancear a visita dentro do Facebook, sabe como é. Não entramos na lojinha deles porque não estávamos com um funcionário, o que pra mim é bizarro, mas como tem fama de careira não teve problema. A visita ao Googleplex foi bem diferente da visita que fizemos por dentro no Google na Suíça, lá foi mais nerd e por dentro, no Googleplex só foi por fora, mas foi bacana.

Escultura do T-Rex que tem no campus do Google

Escultura do T-Rex que tem no campus do Google

Aproveitamos o embalo que tínhamos pra ir pro Texas visitar a NASA e paramos no Ames, um centro de pesquisa deles no Vale do Silício. Pesquisam de tudo lá hoje em dia, mas só se pode entrar num galpão museu que eles tem. De fora dá pra ver até mais coisas, como o túnel de vento ridiculamente grande que já foi o carro-chefe do centro, e o hangar de balões igualmente enorme. O museu em si é bem pequeno mas muito bem organizado, afinal é da NASA. Tinha uma cabine simulando uma decolagem de um ônibus espacial onde você interagia reagindo a alarmes mexendo no painel! Tinha um simulador de sistemas solares pra você testar órbitas e vimos uma réplica de um módulo da ISS, com partes que já estiveram nela inclusive. Adoramos, é claro :-)

Cabine simulando lançamento de ônibus espacial no Ames

Cabine simulando lançamento de ônibus espacial no Ames

Estando no Vale do Silício e aproveitando ainda a companhia, não tínhamos como não ir no Museu da História da Computação que vale muito a pena. É foda mesmo. Eles tem unidades físicas de tudo o que se pode imaginar, e embora nem todas sejam funcionais e não pudesse encostar nelas, é uma baita sorte poder ver tudo aquilo. Demos sorte mesmo pela visita guiada que tava começando bem quando chegamos, então os 15 dólares de entrada foram bem compensados! O senhor que era guia parece que viveu na região desde quando começou o boom tecnológico ali e manjava bastante até. Vimos no museu altos Cray, antigos e mais recentes, e a parte de supercomputação foi até surpreendente. A parte de jogos é muito legal, mas o Pong não era o original ;-)

Naturalmente, agora tem uma seção só de computação móvel, com os fracassados e os que vingaram, e como fizemos a rota invertida no museu indo da história recente até a mais antiga, eles foram os primeiros visitados e deu uma perspectiva legal de miniaturização ao chegar na parte de cálculo mecânico e maquinário antigo. E que lojinha era aquela que eles tem, cara! Cheia de tranqueiras nerds, antigas e novas, muito foda de resistir. Reserve um bom dinheiro se passar lá :-)

Antes de sairmos da Califórnia, afinal já estávamos ali há 10 dias, tínhamos que bater cartão nos pontos da Gordolândia do Silício também! A região merece tour gastronômico também, ora bolas. Os sanduíches do In & Out são super simples, mas adoramos, muito bons e baratos. Krispy Kreme é ultra gordo mas é complicadíssimo resistir ao cheiro dos donuts deles, assim como é difícil ir na The Cheesecake Factory e não sair de lá rolando. Pra padrões mochilatórios ela é cara, mas vale a pena demais. Numa noite fomos todos lá e não deu mais que 30 dólares por pessoa pra dividir uma entrada, prato, bebida e o cheesecake mais animal que se pode imaginar. Empanturrados, mas felizes, Vale do Silício foi da hora!

2 comentários (+manda o seu?)

  1. Natália
    Jun 15, 2014 @ 18:25:00

    Olá! Acabei de ler essa publicação sobre a visita ao Vale do Silicio, em San Francisco. Como estarei indo para lá no início de Janeiro de 2015 e tenho vontade de conhecer a sede da Google (Googleplex) e do Facebook, além do museu do computador e este da NASA, gostaria de saber se é necessário conhecer alguém que trabalhe nas duas sedes para visitá-las. Eu e minha família gostaríamos muito de ter a mesma oportunidade que tiveram. Se possível, responda à esse endereço de email: nataliamiler98@hotmail.com. Obrigada e boa noite!

    Reply

    • caio1982
      Jun 16, 2014 @ 08:45:00

      Oi, Natália! Visitas a NASA são todas abertas, normal, mas pro Facebook e Google realmente precisa conhecer alguém que trabalha lá. O que você pode fazer, no entanto, é passear pelas ruas e ver os prédios pelo lado de fora. No Google até dá pra ver as decorações, estátuas de Androids e andar nas bicicletas coloridas deles, mas de resto é meio sem graça ver por fora somente… uma pena :-(

      Reply

Leave a Reply