Mundo na Panela #5: ratatouille

No Comments

Chegando na França, pra fazer vocês ficarem com bafo de queijo azul uma semana! Pra gente fazer ratatouille não dá trabalho algum, muito pelo contrário. Já cozinhamos ratatouille em casa há anos e fazer agora pra relembrar nossa passagem pela França é mais uma desculpa pra comer bem. Na verdade comemos tanto ratatouille que praticamente é receita da casa já, mas vale entrar no Mundo na Panela :-)

Por quê?

Embora não tenhamos comido ratatouille em Nice (da onde o prato vem), comemos uma panelada deliciosa em Lormont no sudoeste da França feita por um francês que nos disse uma verdade a que temos que dar o braço a torcer: comida francesa é boa pelos ingredientes. Isso é essencial pra ratatouille, anota aí. Comer um ratatouille como o que comemos serviu de selo de autenticidade pras nossas receitas também. Já tentamos fazer no estilo do desenho animado, em camadas tipo confit byaldi e no forno, mas sempre preferimos rústico na panela. Algumas pessoas conhecem uma variação italiana, caponata, que é parecida. Pegue uma baguete bem feita com queijo roquefort e você nunca mais esquece desse prato estupidamente simples e banal, acredite.

DSC_3296

Ratatouille caseiro

Receita

  • 2 beringelas grandes
  • 2 abobrinhas
  • 4 tomates
  • 6 dentes de alho
  • 1 cebola grande
  • 6 ramos de tomilho
  • azeite, sal e pimenta do reino

Preparo

Sempre vai ter briga sobre se ratatouille é em camadas, picado, meio purê, em pedaços etc. Relaxa. Compre ingredientes bons, azeite decente e tal e finja que é um camponês das antigas que só quer comer legumes sossegado. Só lembre de comprar beringelas com poucas sementes, abobrinhas não muito grandes pra ficarem mordíveis e com pouca água, e que os tomates estejam bem maduros e o tomilho não desidratado.

Corte a cebola em pedaços pequenos e refogue com os alhos inteiros em uma porção caprichada de azeite. Deixe caramelizar. Depois junte os outros ingredientes: beringelas e abobrinhas em pedaços grandes (em fatias ou pedaços da largura de um dedão, vão reduzir de tamanho) e os tomates cortados em quatro partes cada. Tempere com sal e só um pouco de pimenta do reino. Refogue tudo com os tomilhos, sem quebrar os legumes, tampe e deixe sempre no fogo baixo. É pra cozinhar devagar quase no vapor dos líquidos dos próprios legumes. Adicione um pouco de água se sapecar o fundo da panela, mas normalmente solta bastante água já, mexa de vez em quando pra temperar. Fogo baixo até o final. Uns trinta minutos ou até que os legumes estejam todos macios começando a desmanchar. O caldo, se tiver algum, vai estar marrom e engrossado. Remova os ramos de tomilho antes de servir. Mande ver na baguete com roquefort por cima e tá pronto.

DSC_3283

Sem baguete e queijo azul não tem ratatouille!

Manha

Se achar legal, algumas pessoas botam pimentões amarelos ou vermelhos na receita, ou mesmo cogumelos paris grandes. Sim, pode usar gorgonzola no lugar do roquefort, dá praticamente na mesma se não for de marca barata com queijo salgado demais. Baguete boa é crocante por fora, macia por dentro e tem o comprimento de um braço. Isso não tem discussão. Tem quem prefira ratatouille mais como refogado e picado quase em purê, a gente prefere em pedaços que dão pra morder bem porém são macios, quase desmanchando. Seja feliz e coma ratatouille até explodir!

PS: não deixe de ver mais comilanças nossas nos outros posts Mundo na Panela!

Leave a Reply